Carta a um Chapa (Quente)

Caro Hot Fingers John,

Fiquei muito contente em receber o vídeo que você colocou no YouTube.
Então, você também me perguntou como entrar no mercado de gravação e como acompanhante de artistas, se eu teria alguma indicação ou conselho para dar.
Bom, conselho eu tenho, e espero que você goste.
Assistindo ao vídeo, percebi seu alto grau de virtuosismo, dominando técnicas que mal consigo pronunciar o nome. Muito interessante, de verdade.
Agora, se eu fosse um produtor, à procura de um músico para gravar ou acompanhar um artista, e assistisse a aquele vídeo, com certeza procuraria outra pessoa.
A palavra chave que está faltando no seu vocabulário é: “disciplina”.
Técnica é importante, mas não é tudo. Geralmente as pessoas que estão tocando nas gravações e shows pelo Brasil afora são gente que toca para a música, e não para si mesmos. Pessoas que usam a técnica, as notas (ou a falta delas) para um bem maior, que colocam o interesse da banda, do artista, do CD, à frente da sua própria necessidade em aparecer.
Saber quando tocar menos é uma arte à parte da própria execução, pois consegue visualizar a beleza na ausência de si mesmo. Filosófico, não? Mas na prática soa bem pra caramba!
Você me disse também que sua leitura não é lá essa coisa, e que também não gosta de estudar com o metrônomo, pois acha que limita a sua criatividade. Bom, tenho duas notícias a dar, uma ruim e uma boa.
A ruim é que leitura e precisão são quesitos indispensáveis para estar atuando no mercado da música. Se o produtor começar a dizer a seqüência dos acordes em voz alta para você, é porque ele é muito educado e não quer ofendê-lo dizendo para voltar para casa e estudar. Se ele disser que você é um músico de vanguarda, não é um elogio. Quer dizer que você está sempre à frente do tempo, e precisa estudar com o metrônomo. O normal mesmo é ele parar tudo e dispensá-lo.
A boa notícia é que leitura e precisão são dificuldades relativamente fáceis de resolver, basta estudar e ter senso crítico para analisar seu progresso. Não existe atalho, você não vai ficar craque estudando 12 horas em um dia. É material para trabalho constante, dias, semanas, meses.
Não desanime, trabalhe em cima dessas coisas, seja persistente. Agora, se você preferir achar que estou jogando um balde de água fria em sua carreira, ainda assim existe uma boa notícia: você sempre terá portas abertas para dar aulas de contrabaixo, tocar em bandas de música instrumental e seguir como artista solo. A queima de fogos de artifício nunca deixará de impressionar as pessoas!
Estou escrevendo porque você me pediu para fazê-lo. Espero que tenha ajudado mais do que atrapalhado.
Abraço,

Claudio

Comentários

Tiago Garros disse…
Claudião,.....
MEEEEEEEEEEEEEEEESTREEEEEEEEEEEEEEEEE !!!!
Claudião, vou imprimir essa resposta e colocar diante do meu computador pra lê-la todo dia.......

Abração, Marcos.
Claudio Rocha disse…
Então, nunca costumo responder esse tipo de coisa, porque quem escreve não quer ouvir nada a não ser "ooohhh! como você toca bem! vou indicá-lo para tudo daqui pra frente!"
Mas, nesse dia, estava em estado de graça... rsrsrsr...
Sabe o que aconteceu? O cara sumiu, nem para responder o e-mail...
Bom, faz parte da vida...
Gui Stutz disse…
Privilégio estar perto de pessoas como você. Abraço

Postagens mais visitadas