O Processo de Gravação

"The Recording Process"
Por Keith Rosiér


Onde ficar

Quando você entra no estúdio, o técnico ou o produtor provavelmente irá dizer se você deve ficar na sala de controle ou na sala de gravação, mas você também pode perguntar. Quando você achar o lugar, tire seus instrumentos dos bags e cases para que eles se ajustem à temperatura da sala.
O técnico geralmente prepara o som da bateria primeiro e depois passa para o baixo. Quase sempre haverá um Direct Box para você plugar seu instrumento. O técnico pedirá para você tocar - sempre mantenha seu volume no máximo - e ajustará o volume do seu baixo.
O nível dos fones de ouvido é geralmente ajustado durante a primeira passagem de som do grupo. Todos esperam sua vez de dizer ao técnico o que precisam em seus fones. Algumas vezes todos estão na mesma mixagem, por isso você deverá ouvir seu baixo em um nível mais baixo do que você gostaria.

Aprendendo a Música

O artista ou o produtor passará as partituras (ou cifras) ou esperará que você escreva a sua própria partitura, enquanto um demo da música é tocada, seja em cassete, piano ou violão. Mesmo que a música seja simples, você sempre deve escrever uma "parte". À medida que a gravação progride, o arranjo pode sofrer mudanças drásticas. Já vi músicos emperrarem uma gravação porque não conseguiam lembrar de todas as mudanças efetuadas. Isto poderia ter sido evitado se tivessem marcado as mudança em uma partitura.

Gravando a Música

Você é contratado para tocar exatamente o que o artista ou produtor pede, da melhor maneira que sua habilidade permita - sem exceções. Mantenha um sorriso no rosto e tente acrescentar um bom clima na gravação. Não faça julgamentos sobre a qualidade de uma música. Se o seu baixo é a única coisa boa naquela música, que seja assim. Músicos de estúdio bem sucedidos apresentam sempre uma atitude positiva e profissional, nunca esquecendo que são contratados para tocarem o seu melhor em todas as situações.
Alguns produtores e artistas esperam que os músicos cheguem com idéias sobre o arranjo se necessário, enquanto outros não querem ouvir de você nada a não ser a partitura que pediram que você tocasse. É com você analisar a situação e responder de acordo com a mesma.
Existem situações onde o artista não gostará do que você tocou e pedirá que você apresente uma outra idéia. Se você fica facilmente ofendido por esse tipo de situação, seria melhor procurar outro tipo de trabalho. Artistas querem músicos de estúdio que estejam dispostos a trabalhar com eles e que não tenham problema em ouvir que sua parte não está funcionando. Ter uma atitude negativa em uma gravação é uma boa maneira de fazer seu telefone parar de tocar.
Você é contratado para usar seu conhecimento técnico e musical para ajudar uma música a alcançar todo seu potencial artístico e comercial, mas não pense que toda música requer que você toque linhas virtuosas de baixo. Algumas músicas pedem a linha de baixo mais simples, enquanto outras podem pedir uma abordagem mais complexa - cada música e gravação é diferente. Sempre chegue com um olhar novo sobre cada situação, fazendo daquela música sua prioridade número 1. À medida em que for fazendo mais gravações, você aprenderá a afiar e confiar em sua intuição. Isso irá ajudá-lo a se ajustar apropriadamente em cada situação, fazendo todo mundo feliz e tornando-o um baixista muito popular.
O modo como você sente a música pode afetar sua performance. Não faça coisas que irão alterar seu julgamento, como ficar "aceso" com café ou tentar relaxar com algumas cervejas. Tal auto-medicação provavelmente fará você correr ou atrasar, dificultando-o a criar um bom "feeling".
Alguns produtores gastam 3 horas em uma música - a não que seja uma gravação demo (demonstração) - enquanto outros chegam a levar um dia. Independente do que acontecer, esteja preparado para aprender a música rapidamente e gravá-la em poucos takes. Entretanto, não caia na armadilha de pensar que aquilo que você gravou não pode ser duplicado ou melhorado. Você precisa de confiança e habilidade para gravar a mesma música 25 vezes, se necessário. Esteja preparado para gravar a sua melhor performance quantas vezes for necessário; em outras palavras, até que o produtor esteja feliz.

Corrigindo erros

Se você errar enquanto estiver gravando, não pare. Recomponha-se rapidamente e acabe a música. Quase sempre você pode corrigir seus erros mais tarde através de cortes (punch in), que é um método de gravar sobre um ponto específico da música.
Depois de ter "confessado" seu erro, o técnico acha o ponto e começa a tocar a música antes do lugar onde o erro ocorreu. No ponto onde aconteceu a falha, o técnico rapidamente põe seu canal em modo de gravação para que você possa corrigir o erro. Depois que você tocou a nota ou frase certa ele rapidamente irá tirar seu canal do modo de gravação. Quando você estiver fazendo um corte na música, a parte original e a nova devem combinar exatamente em volume e timbre, por isso certifique-se que seus controles estejam iguais aos anteriores e toque com um ataque idêntico.

Overdubbing

Algumas vezes pedirão que você grave o baixo em uma base que já está gravada. Você geralmente fará isso na sala de controle junto com o técnico de som. Você pode ouvir seu som nos monitores da sala, mas também pode querer usar fones para se ouvir melhor e ficar menos distraído. Os monitores ou fones de ouvidos devem ser ajustados para que você possa ouvir bem a bateria e a voz.
Pode ser meio difícil conduzir numa gravação do tipo overdub, já que você não está trabalhando diretamente com o baterista. Para resolver isso, peça ao técnico para abaixar um pouco seu baixo para que você possa ouvir o baterista e o resto do instrumental melhor.

Extraído do Livro: "Studio Bass Masters", por Keith Rosiér
Tradução: Claudio Rocha

Comentários

Elton Ricardo disse…
Muito bom o post, Claudião!

Obrigado por disponibilizar para a gente ouvir!

Parabéns!
Abraços!
Luciano (Bauru) disse…
Fantástico o texto traduzido Cláudio. Falo isso pois esta semana tive minha primeira gravação em estúdio, um CD de um casal de pastores de Bauru, coisa para ser usada e divulgada apenas na igreja deles. 5 músicas (nenhuma saiu de prima, eheheh), mas me realizei como músico amador, sabe aquele lance de um dia plantar uma árvore, escrever um livro...então acho que todo músico e cantor não deveria morrer sem entrar em um estúdio, é cruel, pois expões suas deficiências por menores que sejam, mas o final recompensa.
Enquanto estava lá pensei nos posts de seu blog, suas experiências como profissional me ajudaram.
Foi demais!!!!
Abraço
Luciano (Bauru)
Eu disse…
Boas dicas Cláudio! Com a experiência que vc tem.. É bom prestar atenção! Boa tradução!

Postagens mais visitadas