Está Escrito, Droga!

Tempos atrás, em um espaço de poucos dias, peguei duas gravações totalmente diferentes: uma gravação com a base completa (baixo, bateria, guitarra e teclado), e outra somente de baixo e bateria .
A primeira gravação tinha arranjos bem definidos, várias linhas de baixo escritas, muito cuidado com a escolha de timbre, etc. A outra, por outro lado, era muito simples, as músicas não tinham arranjos muito elaborados, combinávamos a levada e tocávamos. Em ambas as situações, gravei com músicos de primeira qualidade, e o número de faixas foi o mesmo.
Qual a razão, portanto, de termos levado praticamente o mesmo tempo para gravar músicas de complexidade e quantidade de músicos tão diferentes?
A resposta, literalmente, salta aos olhos: a partitura.
Enquanto a primeira partitura foi escrita com esmero, a segunda foi escrita de qualquer maneira, o que costumo chamar de "papel de padaria".
Resolvi escrever sobre esse assunto porque percebi o quanto uma partitura decentemente escrita aumenta o rendimento no trabalho dos músicos. Partituras mal escritas dificultam muito a leitura dos músicos, fazendo-os repetir algumas vezes trechos super simples, o que algumas vezes pode causar algum stress. Além do mais, alguém pode presumir (erroneamente) que eles são maus leitores, e isso pode colocar "uma pulga atrás da orelha" do artista, e também gerar stress ("por que você chamou esse músico que não sabe nem ler a partitura?")
Não estou dizendo que as partituras devem ser todas escritas no computador, ou que esquecer um símbolo de coda irá causar uma revolta dos músicos, mas o mais importante na partitura é a clareza nas informações que passa.
Graças a Deus pego muito poucas partituras estilo "papel de padaria", mas quando elas aparecem...
Abraço,
Claudio

Comentários

Mauricio Domene disse…
Como aqui no Brasil os orçamentos são sempre muito apertados, está fazendo falta 2 profissionais que deveriam estar envolvidos nesse processo: copista e proof reader.

O copista é quem sabe as técnicas para escrever de maneira mais eficiente uma partitura, deixando tudo muito claro. Uma falta de marcação de coda pode fazer com que a gravação não saia no 1o take. Isso pode parecer besteira numa gravação simples, mas se for com uma orquestra completa, vai contando quanto custa cada minuto no estúdio...
O Proof reader é quem vai checar se não tem nenhum erro no trabalho do copista. Sabe lá o que é ficar brigando com o músico porque a frase está soando errada... pra descobrir depois de vários minutos e muito estress que está escrito errado? Que faltou o sustenido ocasional naquela nota no meio da frase cabeluda?

Agora, numa realidade de partitura em papel de pão, falar sobre esses 2 profissionais é surreal :-)
Claudio Rocha disse…
É... talvez a falta de um coda termine em uma rebelião de músicos, rsrsrs.
Excelente comentário, amigo!
Abração!
diego disse…
Claudiao blz

estou p pedir isso faz tempo coloque alguns exelplos de partituras que vc vem encontrando no studio tanto das papeis de pao quanto as papel de musica
se precisar tira os nomes p num ter nenhum problema

muito obrigado
Claudio Rocha disse…
Diego, pode parecer mentira, mas não tenho em casa nenhum exemplo de partitura tipo "papel de padaria". Acho que fico tão irritado quando pego uma, que acabo deixando por lá mesmo.
Aqui em casa só tenho parituras bem escritas, e ficarei feliz em colocá-las aqui no blog, ok?
Abração!
Claudião

Postagens mais visitadas