História Comprida…

Já faz mais de ano, recebi uma mensagem no Twitter de um "produtor" que não conhecia: "Vamos ter vários trabalhos pela frente. Me adicione para podermos manter contato".

Adicionei o cidadão, e durante meses nada aconteceu, o cara só postava coisas como aniversário, trabalhos realizados, etc. Fui dar uma passada no perfil dele e, para minha surpresa, ele tinha feito a mesma coisa com um monte de músicos...

Bom, dei um "unfollow" na pessoa, e o tempo passou.

Até que, um belo dia, um amigo me liga dizendo que o " produtor" em questão tinha um trabalho e queria me chamar, e se ele poderia passar meu telefone para o figura. Disse que sim, sem problema algum.

Mas o contato continuou pelo Twitter. Tive que adicioná-lo novamente para poder receber mensagens privadas, mas a mensagem se resumia a: "tenho 2 musicas para gravar, você está disponível na próxima 4ª feira?"

Respondi que tinha a data disponível, mas que para fecharmos precisávamos combinar o cachê, e dei meu valor.

Aí a coisa mais interessante aconteceu.

O cara não me respondeu, ao mesmo tempo que colocou nas redes sociais que iria gravar comigo...

Ok, eu não vou me estressar... aliás, nesse tipo de situação sempre penso que quem deve ficar estressado é o "produtor". Deixei os dias passarem, e 2 dias antes da gravação o cara me liga:

Ele: "Tudo certo para 4ª feira?"

Eu: "Tenho a data, mas como te falei, precisamos acertar o valor. Tudo certo com aquele cachê que pedi?"

Ele: "Então, eu estou pagando metade daquilo para os outros músicos. Dá pra fazer esse valor"

Eu: "Não, 2 musicas só fica difícil negociar o cachê"

Ele: "É que o outro baixista está gravando as outras faixas"

Eu: "Então, dá mais essas 2 para ele, vai dar até uma engordada no cachê dele"

Ele: "Mas eu quero gravar essas 2 com você"

Eu: "Então, já que você quer tanto, o cachê é aquele que eu pedi"

Silencio na linha. Será que caiu?

Ele: "Ok. Aquele cachê"

Eu: "Outra coisa. Você me disse que o cliente é de um determinado segmento religioso, certo? Então, com esses caras eu só trabalho com dinheiro na mão, antes da gravação, ok?"

Silêncio de novo.

Ele: "Ok"

Fim da conversa.

No dia da gravação o "produtor" desmarcou o trabalho, e nunca mais remarcou...

Não me considero inflexível, difícil de trabalhar, ou cheio de exigências. Mas quando perco a confiança em um cliente (e o processo por parte desse produtor foi eficiente em me deixar com "o pé atrás") começo a combinar o trabalho para não fazer, por isso a minha tratativa com o cidadão. Coloco a maior quantidade de entraves possíveis, porque sei que quando não existe a confiança, todo o processo pode ser desgastante e complicado. Mas se a pessoa aceitar tudo, aí terei que ir… e isso é assunto para outra conversa…

O cara não é o Will.i.am e acha que eu vou levitar quando ele me chama para gravar? Hoje não...

Abraço,

Claudio

Comentários

wfs disse…
É cada doido que apere heim Claudião?!!! Se o cara quer ser um bom produtor ele tem que ter mais responsábilidade e pesar tudo antes mesmo de sair fechando com os musicos.
Se ele quer qualidade tem que pagar o preço...
É cada uma meu irmão!
William Fortunato
Claudio Rocha disse…
É verdade… o que acontece também é que tem gente que quer usar o nome dos músicos para se promover… isso já acontece há muitos anos, e hoje com as redes sociais ficou mais forte ainda… mas, como sempre digo: "se quer fazer propaganda às minhas custas, vai ter que pagar por isso"… rs
Abs!!!

Postagens mais visitadas