O Impostor


Comprei o baixo acústico há alguns anos atrás, e por uma série de problemas e falta de tempo, ainda não consegui tocá-lo como gostaria.
Mas, depois de um tempo, descobri que nos estúdios as pessoas preferem gravar o baixo vertical, o famoso "upright", pela fácil captação. Para quem não sabe, é um baixo muito parecido com o acústico, mas sem o corpo, e por causa disso a sua sonoridade não é igual ao "rabecão".
Fiquei pesquisando durante muito tempo em como simular o som do upright, e acabei chegando em um resultado que considerei satisfatório:
  1. Baixolão Fretless (valeu, Gabriel);
  2. Cordas lisas;
  3. Espuma na ponte.
Fiz alguns testes, gravações em casa, e depois comecei a "vender esse peixe" para estúdios. Gravei alguns CD's e os produtores gostaram do resultado.
Aí um arranjador conhecido no mercado me ligou, perguntando seu eu tinha o upright. Disse que não, mas tinha o acústico. Ele disse que tinha de ser o upright, porque eu iria gravar na sala da gravação, junto com o baterista. Aí respirei fundo e falei sobre a minha "maracutaia" do baixolão. Ele ouviu, disse que iria conversar com o produtor e me ligava de volta.
Me ligou depois de 5 minutos dizendo que estava tudo certo.
Fui lá, gravei a base e tudo caminhou bem.
Aí encontrei com um músico que gravou sax no mesmo CD. Seu comentário:
"Não sabia que você tocava upright, o som ficou maravilhoso!"
Hum, hum... está acreditando até hoje...
Abraço,
Claudio

Comentários

Elton Ricardo disse…
Seu espertinho!!!

Só não vou ameaçar de contar tudo para todos porque já postou no blog! hahahah!

Saudades de ti, amigo.

Grande abraço!
Gabriel Oliveira disse…
Cláudio!

E teu El Captain é fretless? :)
Claudio Rocha disse…
Ah! Gabriel, é verdade, detalhe importantíssimo!
Tô ficando velho mesmo!
Obrigado!
Fernando disse…
O arranjo do Garçon eu jurava que era um upright!!
Anônimo disse…
kkkkkkkk estou neste momento lendo um forum que criei no (contrabaixobr) sobre esse assunto, se vale a pena ou nao desfretar meu baixolão...parabenz

Postagens mais visitadas